OCEANIA
     

AUSTRALIA

NOVA ZELANDIA PDF Imprimir E-mail
Escrito por Administrator   
Sáb, 27 de Fevereiro de 2010 12:50

 

 

NOVA ZELÂNDIA (NEW ZEALAND)

Ligar a cobrar 000 955
Formada por duas Ilhas a do Norte e a do Sul e por muitas ilhotas. A sua capital é Wellington e faz parte da Oceania.
A porta de entrada é Auckland, uma cidade dividida entre duas duas  baías, a Waitemata a leste (banhada pelo Pacífico) e a Manakau a oeste (com as águas do Mar da Tasmânia

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

AUCKLAND


O centro da cidade é pequeno, simpático. Poucos arranhacéus e uma torre que, dizem, é a mais alta do hemisfério sul. Calcula-se uma população de mais de 1 milhão na área metropolitana de Auckland. Para um país de menos de 4 milhôes de habitantes, Auckland é uma metrópole!
A Nova Zelândia é dividida em 2 partes: a Ilha do Norte (onde está Auckland) é a menor e a mais densamente povoada. A Ilha do Sul possui as melhores atrações turísticas para quem curte a natureza. Wellington é a capital administrativa do país que faz parte do Commonwealth (Comunidade Britânica). Wellington fica na ponta sul da Ilha do Norte. As duas ilhas estão separadas pelo estreito de Cook e são bem próximas. Um ferry boat faz a travessia tanto de pedestres como de veículos num percurso de 3 horas.
Os maoris foram os primeiros habitantes da Nova Zelândia. Eles chegaram na ilha há centenas de anos atrás vindo de ilhas da Polinésia em frágeis canoas. Seus traços fisicos lembram os havaianos. Homens e mulheres são altos, com pele morena e cabelos negros e lisos, bem diferentes dos primitivos aborígenes que habitavam a Austrália.
Ao contrário do que aconteceu na Austrália, os maoris, já no início da colonização uropéia, fizeram um tratado de paz com os britânicos, o que se não foi assim tão favorável aos nativos, pelo menos lhes assegurou uma posição confortável. É claro que ainda hoje são feitas reivindicações (geralmente de ordem política), mas os maoris são um povo que não foi perseguido e quase exterminado pela coroa britânica como aconteceu a outros países onde ingleses impuseram seu império. O melhor exemplo de convivência pacífica entre colonizadores e colonizados em toda a história mundial.
AOTEAROA. Este é o nome da Nova Zelândia na língua maori e quer dizer "Terra da Grande Nuvem Branca" .Talvez pela grande quantidade de atividade vulcânica na ilha. A maioria dos lagos, montanhas, baías, rios e cidades possuem nomes maoris. KIA ORA é uma expressão que indica uma saudação de boas vindas.
A Nova Zelândia é uma país ainda mais jovem que a Austrália e o Brasil. Na verdade, tem menos de 200 anos!!!! Quando os britânicos tomaram posse das ilhas, acharam que não valia a pena investir naquelas duas. Ali não havia muita coisa que pudessem explorar como ouro ou pedras preciosas. Só matas e vulcões. Sorte da Nova Zelândia. Há menos de 200 anos os europeus começaram a chegar atraídos pelas terras baratas e pelo clima agradável. Alguém teve a grande idéia de trazer ovelhas. e hoje elas são maioria neste país. As estatísticas dizem que existem 25 ovelhas para cada habitante. Isso faz um total de mais de 60 milhões de ovelhas!!!! O que faz este país um dos maiores produtores de lã do mundo.
Um pássaro esquisito de bico comprido e que não voa é o animal que simboliza este país. O kiwi foi escolhido como símbolo talvez por ser como o povo daqui: rústico, simples e espertos. Kiwi é hoje o nome genérico que se dá aos habitantes de Aotearoa. E eles ostentam essa denominação com orgulho e prazer.
A Nova Zelândia é um país praticamente limpo e que não sofre os problemas da poluição, embora sua qualidade de vida seja de primeiro mundo (raros no Hemisfério Sul) com todas as facilidades e confortos do século 21. Mas praticamente não há indústrias no país. Até alguns anos atrás, havia 2 fábricas de automóveis na ilha, ambas japonesas. Os carros fabricados além de acabarem ficando mais caros que os similares que chegavam dos países asiáticos, causavam transtornos ecológicos. Assim, os neozelandeses decidiram simplesmente fechar as fábricas e hoje, todos os carros que rodam no país são importados. A direção usa a mão inglesa e a gasolina é ainda mais barata que no Brasil (cerca de R$0,95 o litro).
É um país relativamente barato. O dólar neozelandês tem valor similar ao Real em relação ao dólar americano. Fazer turismo aqui é bem accessível. Pode-se alugar um carro por N$25 por dia, com km livre e seguro incluído. Uma van sai por N$75 e um camper todo equipado por N$65!!!!! Os neozelandeses adoram a vida ao ar livre. A rede de estradas é excelente, há ótimos campings por todo o país e os Bed and Breakfast são bons e baratos. A Nova Zelândia tem no turismo uma de suas principais fontes de divisas.
O país é cosmopolita e aberto à imigração. Brasileiros não precisam de visto para entrar na Nova Zelãndia. O clima é agradável. No verão as temperaturas chegam a 32ºC e no inverno descem a 10ºC. A ilha do Sul é mais fria e chega a nevar nas montanhas. Em minha estada na Nova Zelândia, tive o acompanhamento de um guia muito especial e particular, meu amigo Misaki, que conheci via internet e que me levou para conhecer seu país sob um ângulo que só um morador pode oferecer.

Última atualização em Qua, 09 de Junho de 2010 00:23
 
FIJI PDF Imprimir E-mail
Escrito por Administrator   
Sáb, 27 de Fevereiro de 2010 12:47

ILHAS FIJI


DDI: 679
Língua oficial: inglês
Moeda: dólar de Fiji
Visto: não é necessário, mas é preciso ter passaporte com validade de seis meses e certificado de vacina de febre amarela.
Hora local: + 12h
DINHEIRO
Tenha dólares de Fiji para gastos do dia-a-dia. As notas são de 2, 5, 10 20 e 50 dólares - e embora Fiji seja agora uma repúplica independente, as notas e moedas ainda trazem a imagem da Rainha Elizabeth II. Um dólar de Fiji corresponde a R$ 1,27 ou a US$ 0,62 (cotação de 21 de abril). Dólares americanos, australianos e neozelandeses são trocados com facilidade e, eventualmente, aceitos. Muitos lugares aceitam cartão de crédito - alguns resorts cobram 5% a mais para pagamentos com cartão. Dar gorjetas não é comum.

Fiji é um país insular (não tem nenhuma fronteira terrestre) da Oceania. Está situada no coração do Pacífico Sul, entre a Melanésia e a Polinésia. Vanua Levu e Viti Levu, de origem vulcânica, são as maiores, esta última a cidade capital – Suva, o maior pólo turístico do país e uma das cidades mais sofisticadas do Pacífico Sul.
O primeiro explorador europeu chegou as ilhas em 1643, ficou fascinado com as riquezas dos seus recifes e ao mesmo tempo falou dos perigos para a navegação o que fez os marinheiros ocidentais ficarem afastados durante 130 anos, até que o Cook tomou conhecimento destas “ilhas habitadas por guerreiros ferozes e canibais” e redescobriu o arquipélago e integrou-o no circuito comercial britânico.
Curiosamente, além do sândalo, a preciosidade mais procurada nestas ilhas, trocada por uma série de produtos de luxo, era o pepino-do-mar (uma lesma marinha), muito apreciado pelos gourmets abonados daquela época.
Em finais do século XIX, graves conflitos interinsulares levaram a Grã-Bretanha a intervir, a depor o rei Cakobau e a integrar as ilhas no seu vasto império. Em 1987 foram proclamadas República, mas só em 1992 é que o poder, anteriormente nas mãos dos militares, passou para os civis e a situação política normalizou.
Foi aqui que foi filmado a A Lagoa Azul, sucesso dos anos 80 com Brooke Shields,  tem mais de 300 ilhas, mais precisamente são 309 ilhas no arquipélago que fica no pacífico Sul.
Esse maravilhoso local é protegido do turismo de massa por causa dos 700 mil fijianos que consideram a sua terra sagrada e não pode ser vendida para estrangeiros. Por isso os hotéis são pequenos e charmosos, com poucos quartos e muitos chalés locais chamados de burês. Quase 380 mil turistas passam pelos 1,3 milhões de quilômetros quadrados da ilha.
Todas as ilhas são cercadas por recifes de corais e banhados por um azul cristalino, permitindo o mergulho com  máscara e snorkel de tão cristalina que é a água.
Nas ilhas Fiji são falados três idiomas, que são as línguas oficiais do país: o fijiano, idioma dos habitantes nativos das ilhas, o inglês, devido à colonização britânica no século XIX, e uma variante do hindi chamada de hindi fijiano trazida por imigrantes indianos.
A melhor época do ano para viagens é de maio a outubro. A melhor época do ano para viagens é de maio a outubro,  nós fomos em janeiro.   A nossa experiência não foi nada boa, já de cara o avião balançou terrivelmente, e ao chegarmos na ilha, à noite, encontramos vários galhos  de árvores caídas por onde passávamos,  estava mesmo difícil o acesso ao nosso bangalô. O gerente que nos conduziu, falou que isso tinha sido os fortes ventos da semana. Achamos bem diferente de todas as imagens que víamos nos programas de turismos, mesmo assim aceitamos,  e por estarmos muito cansados, fomos dormir esperando que no dia seguinte o azul maravilhoso compensasse tudo, mais qual não foi a nossa surpresa, no outro dia a imagem foi muito pior, o mar estava cinza e meio escuro, as cabaninhas que ficam na praia com as palhas reviradas e até pareciam abandonadas, folhas por todos os lados, na verdade, estava tudo horrível. Nosso filho falou, não foi isso que eu imaginava encontrar, todos falavam que era um lugar tão lindo. Já que tíamos ido procuramos aproveitar.
Ao chegar no Brasil é que fui saber o porque de tudo aquilo, o jornal falava que um ciclone tinha varrido as ilhas Fiji, então ficou tudo esclarecido.

29/01/2008 - 17h52
Ciclone Gene mata 6 ao atingir ilhas Fiji
Publicidade
Colaboração para a Folha Online
O ciclone Gene atingiu as ilhas Fiji na segunda-feira, provocando a morte de seis pessoas, danos e o corte de abastecimento de água e de energia elétrica nas principais ilhas do país
.

O grupo das Mamanuthas, por exemplo, é um amontoado de minúsculas ilhas a Oeste da costa de Viti Levu, de fácil acesso a partir de Nadi. São populares entre mergulhadores, snorkellers e surfistas pela qualidade das ondas e pela beleza dos recifes.

 

Última atualização em Dom, 20 de Junho de 2010 02:31
 
AUSTRALIA PDF Imprimir E-mail
Escrito por Administrator   
Sáb, 27 de Fevereiro de 2010 12:38

 

 

AUSTRALIA

Conhecida oficialmente como a Comunidade da Austrália, país do hemisfério sul e pertencente a Oceania. Sua capital é Camberra.
A Austrália é um país muito parecido com o Brasil, quase do mesmo tamanho mais possui 10% da nossa população.
É a única nação que é uma ilha-continente.

Uma das Sete Maravilhas Naturais do Mundo fica na  Austrália que é a Grande Barreira de Corais, que é considerado o maior santuário de vida marinha do mundo, com 2 300 quilômetros ao longo da costa nordeste do país e é  composta por cerca de 2900 recifes, 600 ilhas continentais e 300 atóis de coral e vivem em torno de 1500 espécies de peixe, 360 espécies de coral, e mais de 5000 espécies de moluscos, 400 a 500 espécies de algas marinhas, 1330 espécies de crustáceos e mais de 800 espécies de equinodermes. e é um dos lugares mais fantásticos do mundo para mergulhar principalmente a partir de Cairns, uma das cidades mais próximas dos recifes.
Ao longo dos anos, os corais afundaram muitos navios – o próprio Endeavour, navio do Capitão Cook que descobriu a Austrália, atingiu os corais e quase naufragou.  Um dos navios que naufragou  mais famosos é o HMS Pandora, que afundou em 1791.
Possui um grande  santuário aquático por ser uma ilha com maior litoral do mundo.
Em Cairis podemos conhecer a  grande barreira de corais e também visitar uma reserva administrada por aborígines (povos indígenas da Austrália,  de pele negra, e que hoje representam somente 1% da população australiana).
A sua colonização iniciou com os ladrões da Inglaterra que para lá foram mandados. O país não guarda traços desses antepassados.
Possuem uma das mais altas qualidades de vida, um dos melhores ensinos públicos, cidades limpas e seguras.
A colônia penal começou em Sydney que hoje é uma cidade moderna, erguida ao redor de quatro baías com um dos mais belos portos do mundo. Já Melbourne, nascida às margens do Yarra River, mistura o moderno e o antigo. A segunda maior cidade e grande rival de Sydney têm ainda os bondes coloridos como meio de transporte oficial.
Dois terços do território australiano se constituem em desertos, com uma estreita faixa verde que contorna o mar, esta região é repleta de montanhas e florestas que avançam desde o litoral leste até o sul, mas especificamente em Sydnei e se estendendo até Melbourne.
 

  

ESTADOS

VICTORIA

“Garden State”. Victoria é o menor estado do continente e está situada  na parte sul do continente, coberto de montanhas, ao norte, um lindo litoral ao sul, e regiões semidesérticas a nordeste.

Melbourne
Melbourne é a capital da cultura australiana, conhecida pela moda, culinária, shows e esportes.
Está situada na ponta da Port Phillip Bay.
O estado de Victoria é sede de uma série se eventos internacionais, como o Grand Prix de Fórmula 1, o Australian Open Tennis Championship e o Grand Prix de Motocross.

Tasmânia
Ao sul da aglomeração continental australiana, encontramos a Tasmânia, uma das ilhas mais diferentes do mundo. Com montanhas rochosas, planícies onduladas, densas florestas de eras antigas e praias.
A Tasmania Wilderness, classificada como área de patrimônio mundial, cobre aproximadamente 20% da superfície da Tasmânia. Aqui pode-se descobrir uma vegetação diversificada, cavernas e formações rochosas
A Tasmania possui um passado interessante: originalmente um povoado de colônia penal em 1803, a herança deixada para trás por conquistadores e colonos está evidente nas construções de estilo vitoriano e georgiano, perfeitamente restaurados, por todo o estado. Muitos foram transformados em albergues ou restaurantes; outros continuam sendo grandes mansões e são abertas a visitação.

NEW SOUTH WALES
Conhecido como o Primeiro Estado, é o mais antigo e mais populoso da Austrália.

Sidney
É a maior, a mais antiga e a mais movimentada cidade da Austrália e talvez do mundo, sendo um dos pontos turísticos mais atraentes deste país. Capital do estado, é uma cidade cosmopolita e cheia de vida, situada em uma linda baía.
É um importante centro financeiro, político e cultural. 
Criada há 200 anos atrás, como colônia penal inglesa, não sofreu interferência e teve um crescimento rápido, hoje possui  4 milhões de habitantes.
A oeste , encontramos as Blue Mountains, uma impressionante cordilheira salpicada de alegres vilarejos rodeados de parques nacionais.
Aqui as terras férteis nos levam aos Outbacks (regiões remotas e pouco habitadas) onde o visitante pode explorar os vilarejos históricos.
Ao norte,  praias do litoral central e nordeste.
Ao sul, belos vilarejos, fazendas, lagos, florestas e praias, tudo parte de uma paisagem que se mantém bonita o ano todo. Durante os meses de inverno é possível esquiar nas Snowy Mountains, na parte sul de New South Walles. New South Walles é representado pelo ornitorrinco, um pequeno marsupial; e a flor símbolo do estado é a Waratah.

Sydney Tower
Uma das primeiras coisas que devemos fazer ao chegar em Sydney é subir nesta torre para ter uma visão da cidade. A vista é de 360graus.

Queen Victoria Building
O estilista Pierre Cardim  quando conheceu este Shopping falou que ele era o mais lindo do mundo.
É um edifício do século XIX projetado pelo arquiteto George McRae,  com 190 metros de comprimento por 30 de largura e toma todo o  quarteirão.
Construído para centro comercial, depois foi utilizado para outros fins e no séc. XX voltou a utilização original.
A característica dominante do edifício é a enorme cúpula central, composto por uma cúpula de vidro interior e uma bainha exterior de cobre, coberto por uma cúpula abobadada.  Muitas cúpulas menores em uma variedade de tamanhos.
Embora tenha se  modernizado com a instalação de escadas rolantes e ar condicionado, sua restauração histórica é exemplar.  O chão de azulejos, vitrais, balaustrados e arcos foram todos restaurados.
Há quatro pisos comerciais no edifício com um total de cerca de 200 lojas e boutiques, incluindo a cobertura de varejo de moda, jóias, antiguidades e artesanato brasileiro.
No interior
Dois relógios mecânicos, cada um com dioramas (é um modo de apresentação de maneira muito realista) e figuras que se deslocam de momentos da história.  O Relógio Royal, mostra cenas da realeza Inglês do rei John a assinar a Magna Carta  para a execução do rei Charles I. Ativando na hora, o relógio é acompanhado por Royal uma trombeta voluntária. Um caçador aborígene circula no exterior do relógi, representando a passagem do tempo.
 O edifício também contém muitos memoriais e histórico.  O primeiro apresenta uma chinesa imperial toda feita em jade com mais de duas toneladas, o único encontrado fora da China.  A outra é uma estátua em tamanho natural do  Queen Victoria  em uma réplica de sua  coroação e com jóias da coroa britânica que gira lentamente.
No nível superior perto da cúpula  existe uma carta selada  que foi escrita pela Rainha Elizabeth II e ninguém, exceto ela sabe o que está escrito.
Exterior
Outra estátua da Rainha Victoria pode ser encontrada aqui, vestida, sobre um pedestal de pedra cinza claro.  Esta estátua foi dada ao povo de Sydney pelo Governo da República da Irlanda.  Ela foi colocada em seu local atual em 1987.
Perto fica um poço dos desejos com uma escultura de bronze do cão favorito da rainha Vitória "Islay", que foi esculpida pelo artista local Sydney Justin Robson.  A mensagem insta espectadores dar uma doação, e faça um desejo.  As dezenas de milhares de dólares lançado este ano também beneficiar as crianças surdas e cegas

Sydney Harbour é um dos portos mais bonitos do mundo. A infra-estrutura aqui é impressionante espalhada por seus bairros: The Rocks com comércio intenso, restaurantes e lojas de especialidades; construções incríveis, como o Sydney Opera House, o Sydney Casino, o Sydney Tower Observation Level, que oferece uma visão 360° da cidade e um restaurante giratório.

Outro porto importante é o Darling Harbour localizado  em um braço de mar que avança terra adentro com um shopping espetacular com 200 lojas no complexo Harbourside Festival Marketplace, 8 restaurantes e uma agitada vida noturna na Pumphouse.
Aqui também visite  o Sydney Aquarium para ver os tubarões, crocodilos de água salgada e outras espécies marinhas da Austrália.
Pegue  um Monorail na estação de Darling Harbour para o centro da cidade, passando por  vários pontos. Este passeio dura 12 minutos e é muito barato, vale a pena.
O Power House Museum é dedicado à tecnologia, com máquinas a vapor, aviões e barcos antigos. Ala de efeitos especiais e muito mais.

Conhecer o Circular Quay, baía onde está localizada a famosa Opera House.

Opera House
Considerado uma das maravilhas do mundo moderno, está em localização privilegiada, em uma península perto do porto de Sydney, é uma reminiscência de um navio de velas que afundou ao sair do porto. Foi projetado por Jorn Utzon, dinamarquês, que venceu mais de 200 outros arquitetos. Com o seu projeto arrojado. A obra foi  iniciada em 1959 e concluída em 1973.
A idéia para a construção de uma casa de ópera surgiu após a Segunda Guerra Mundial, quando os australianos perceberam que o país carecia de uma casa de ópera de classe mundial.  Em 1954, o governo de New South Wales decidiu fazer uma casa de ópera nova era para ser construído em Bennelong Point, uma localização espectacular no final do Royal Botanic Gardens .
Esta obra tinha um custo estimado em 7 milhões de dólares, mais devido a  muita demora e vários outros contratempos provocaram atrasos e provocou um terrível aumento nos custos.
O governo fez pressão para o arquiteto baixar os custos e terminar logo a construção, ele então renunciou e a obra foi entregue
a um grupo de arquitetos australianos.  Felizmente o exterior já havia sido concluído. O projeto foi finalmente concluída em 1973.  Seu custo total ascendeu a um astronômico de US $ 102 milhões, quase 15 vezes o orçamento estimado, que tiveram que ser financiado pela Opera House Lottery.

Harbour bridge
Considerada uma das pontes mais lindas do mundo. Nela você, se tiver coragem, e não tiver problemas com alturas, poderá  fazer uma travessia-caminhada de um lado ao outro da ponte por cima das estruturas metálicas da ponte.
 
Manly
Uma estância balneária com lindas e badaladas praias. É também  um bairro residencial que você pode conhecer.
A travessia poderá ser feita por um túnel por baixo do mar, pela ponte Harbour Bridge ou por ferry boat.
É um local de praias lindas,  vida noturna agitada, cheio de cafés, restaurantes e bom comercio.
 
De outubro a maio é tome cuidado com o banho em algumas praias do norte, pois elas ficam infestadas de Jelly Fish, uma água viva venenosa.

 


Canberra
Em 1901 uma pequena região na fronteira de New South Walles, na metade do caminho entre Sidney e Melbourne, foi separada para se tornar a capital australiana. A pequena área territorial é coberta de campinas e savanas; metade do território é uma reserve nacional e um parque com vida selvagem.
Canberra, a capital nacional, é uma cidade plana, projetada pelo arquiteto australiano Walter Burley Griffin. É uma bela cidade e um centro cultural que se destaca entre as magníficas feições da paisagem rústica de New South Walles. É ironicamente conhecida como “bush capital” já que foi construída no que antes era uma zona rural. Os visitantes podem desfrutar da experiência de viver em uma propriedade rural australiana, ou ir a Snowy Mountains ao sul para esquiar no inverno ou caminhar e cavalgar durante o verão. A flor símbolo do estado é a campânula real.

 

 

 

 

 

 

QUEENSLAND

O “Sunshine State”, é o segundo maior estado em tamanho. Seu clima tropical é perfeito e revela o maior organismo vivo do mundo, o Great Barrier Reef. Situado na parte nordeste do continente com águas azuis do Coral Sea e do sul do oceano Pacífico por todo seu litoral, Queensland faz fronteira com New South Wales e South Austrália ao sul e com o Northern Territory ao oeste.
É um estado visitado por muitos turistas que desejam explorar os diferentes aspectos da Austrália.
O centro litorâneo e as ilhas do Great Barrier Reef, que se prolongam por 2.300km, oferece uma enorme variedade de atividades para se fazer, como snorkelling, mergulhar e velejar.
A Great Dividing Range separa a região litorânea com suas úmidas florestas tropicais do belo interior do estado com parques nacionais e com sua flora e vida selvagem .
Ao oeste, a vegetação abundante diminui e se tornam as regiões áridas e descobertas dos Outbacks.

 

Brisbane 
 
Situada às margens do Brisbane River, a capital de Queensland é uma cidade movimentada, cheia de estudantes, muito linda e com um clima subtropical.
Ao sul de Brisbane, encontramos a Gold Coast, 42km de praias lindas e muito freqüentadas. Por  turistas que vão em visitar os parques ecológicos, de diversões e temáticos.
Possui  uma vida noturna bem agitada.
Ao norte, a Sunshine Coast é freqüentada por pessoal de classe alta e por esse motivo o custo de vida é muito alto.


SOUTH AUSTRALIA

Adelaide
A capital do estado, é uma bonita cidade com vários  restaurantes e cafés e cercada de parques. É também sede de um dos festivais artísticos mais antigos do mundo, que é celebrado nos meses de fevereiro e março a cada dois anos. O festival é como um compêndio dos melhores artistas australianos e internacionais em dança, música, artes visuais e shows ao ar livre, em uma incrível amostra de tradições culturais e atividades contemporâneas.
A região de Barossa produz alguns dos melhores vinhos do mundo.
Outros importantes centros culinários e vinícolas são McLaren Vale, Adelaide Plains, Riverland, Adelaide Hills.
“Tasting Austrália” é um evento culinário e vinícola que acontece duas vezes por ano e se tornou um dos festivais mais importantes da Austrália.

WESTERN AUSTRALIA

Éo maior estado do país (aproximadamente com o mesmo tamanho da Europa Ocidental).
As suas margens nas brilhantes águas do oceano Índico e do Great Southern Ocean.
Aqui encontramos a espetacular floresta com eucaliptos gigantes, chamados jarrah e árvores de karri, lindas paisagens litorâneas, praias para surfar, cavernas com pedra calcário e a região do Margaret River, conhecida por seus excelentes vinhos.
No centro do  estado, encontramos os depósitos de ouro e regiões agrícolas que produz a maior parte das safras do país.
Ao norte, encontramos imensas praias primitivas, recifes de corais, ideais para praticar snorkeling e mergulho, uma oportunidade de descobrir os golfinhos de Monkey Mia ou o maior peixe do mundo, o tubarão-baleia.
No  nordeste está à região de Kimberly, uma área de muito contraste: da vila de pesca de pérolas em Broome, as íngremes cordilheiras e profundos canyons ao leste de Kimberly.
Na primavera, o estado se transforma, em uma explosão de cores, quando as flores selvagens começam a florecer.

Perth
Capital da Austrália Ocidental, foi construída nas margens do magnífico Swan River. Têm praias adoráveis e um clima ensolarado. Com um tranqüilo estilo de vida, o que a faz ideal para turistas.
Os símbolos de Western Austrália são as Kangaroo Paw e o numbat, um pequeno primo no canguru.
 

Última atualização em Ter, 21 de Setembro de 2010 13:55